A Dra. Mushira Aboo Dia*, Ginecologista/Obstetra sênior na sala de parto do Hadassah Ein Kerem, trata de vítimas de abuso sexual e estupro no Bat Ami Center for Victims of Sexual Abuse no Hadassah Medical Center.

O Bat Ami (Filha do Meu Povo) Center esta aberto 24 horas por dia e tem uma equipe especializada de médicos, enfermeiras, assistentes sociais e advogados que podem lidar com o trauma do abuso em adultos e crianças.

“O principal objetivo do tratamento no Bat Ami Center,” explica a Dra. Aboo Dia, “é devolver o controle à vítima.” A pessoa que foi atacada decide se deve ser examinada por um ginecologista, para permitir a coleta de provas forenses, ou para prestar queixa. Antes que o Centro fosse criado em 2009, as vítimas tinham que passar pelo Pronto Socorro, onde eram frequentemente forçadas a esperar por muito tempo; hoje elas são imediatamente recebidas por especialistas da equipe do Bat Ami. Estudos clínicos mostraram que a recuperação das vítimas é altamente influenciada pela velocidade com que são atendidas após a violência por aqueles que podem ajudá-las.

No Centro, como precaução, a vítima recebe a pílula do dia seguinte, antibióticos contra doenças sexualmente transmissíveis e medicação para prevenir HIV/AIDS. O tratamento no Bat Ami é gratuito.

A Dra. Aboo Dia explica que todos os incidentes de abuso sexual são reportados à polícia, mas a vítima decide se quer prestar queixa ou não. Nas comunidades judaicas Ultra Ortodoxas e Árabes a vergonha da violência sexual tem reflexos na vítima e em sua família. Se vazam notícias sobre a violência pode acontecer de que não somente a vítima perca a chance de se casar mas as chances de suas irmãs se casarem também diminui. Consequentemente, muitos incidentes de abuso sexual são mantidos em segredo em ambas as comunidades.

Como médica árabe, a Dra. Aboo Dia foi apontada como diretora administrativa da saúde da mulher para a população palestina de Jerusalém Oriental pelo Serviço Nacional de Sáude em 2014. Ela trabalha também na clínica de gravidez de alto risco no Women’s Health Center of Clalit Health Services em Beit Shemesh, onde reside uma grande comunidade judaica ortodoxa.

Aos Sábados, a Dra. Aboo Dia faz parte de uma equipe mista de médicos árabes e judeus que vão às pequenas vilas da Autoridade Palestina para fornecer serviços como ultrasom e medicamentos para encorajar as mulheres a tomar conta de sua prórpia saúde. Em Gaza, eles vão com uma clínica móvel para operar, realizar procedimentos e treinar profissionais de saúde locais inclusive na área de saúde mental.

A Dra. Aboo Dia explicou que há mudanças no Oriente Médio. A Medicina é um caminho para preencher as lacunas. Assim como, realmente ouvir o paciente.

 

*Dra. Mushira Aboo Dia, cuja família viveu em Ramla por muitas gerações, graduou-se pela Hebrew University Hadassah Medical School e fez residência em Obstetrícia e Ginecologia no Hadassah Ein Kerem Hospital. Ela é médica sênior na sala de parto. Serve também como Presidente da Physicians for Human Rights em Israel.

Ela recebeu treinamento clínico especializado nos Estados Unidos na Child Abuse Research Education and Service (CARES) Institute da University of Medicine and Dentistry de New Jersey e participou de programas especiais de treinamento em Israel para identificar, avaliar e tratar abuso e negligência infantil. Recentemente retornou de um ano em Harvard depois de completar seu Mestrado em Administração Pública na Wexner Fellowship em Boston.

http://hadassahinternational.org/dr-mushira-aboodia-hadassah-gynecologist-and-sexual-abuse-specialist-gives-presentation-at-hadassah-new-york-headquarters/

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone