“Não foi fácil para mim deixar o país em que cresci, minha terra, minha família, meus amigos, meu povo, minha cultura e minha comida. Eu cheguei a um país onde, apesar de mil e um problemas, eu fui recebido de braços abertos para ser parte de uma grande família de amigos. Deixar o México e escolher ir para Israel foi difícil, mas uma vez aqui, ficou óbvio para mim que meu destino era o Hadassah Hospital. Poucos dias depois de pousar, eu fui entrevistado pelo chefe da Cardiologia do Hadassah no imenso, impressionante Hadassah Hospital Ein Kerem. Ele me recebeu de braços abertos, me orientou, me aconselhou.”

Eu fui direcionado para o Hadassah Har Hatzofim (Mount Scopus), ao lado da Hebrew University de Jerusalém, onde depois de algumas semanas eu comecei oficialmente meu período de interno e depois minha especialização (residência). O Hadassah Har Hatzofim Hospital é uma instituição “filha” do Hadassah Ein Kerem, um hospital menor localizado na parte leste da Cidade de Ouro. É um hospital mergulhado em um ambiente quase extremo em todos os sentidos já que atende populações ultra-ortodoxas judias, cristãs e especialmente muçulmanas, visto que o hospital está há poucos metros da aldeia árabe de Issauia.

Choque Cultural

Eu lembro que nos primeiros dias após minha chegada ao hospital, além de estar maravilhado com o nível de medicina e tecnologia, eu fui surpreendido pelo grande choque cultural causado pelas diferenças entre meu modo de viver e o entendimento e experiência de vida da população local. Saindo do elevador as 7:30 da manhã, não era incomum para mim ver ao lado esquerdo das escadas um paciente muçulmano fazendo suas orações e louvando Allah em seu rito, e no lado direito da mesma escada um paciente judeu fazendo suas orações e realizando o ritual dos Tefilin (filactérios). E então eu poderia subitamente ver um grupo de soldados armados obviamente sofrendo vindo da unidade de terapia intensiva sendo confortados por um rabino e uma testemunha que estava ali por acaso.

Possivelmente estas experiências são similares por toda Israel, mas sem nenhuma dúvida, foram muitas mudanças em um curto período para um recém chegado do México assimilar.

Trabalhando com Especialistas de Classe Mundial

Durante minha especialização, eu tive a oportunidade de trabalhar com doutores de altíssimo calibre acadêmico e profissional. Cada dia era dividido entre visitas a pacientes, uma palestra ou alguma outra aula. Depois disto, nós sentávamos para rever a informação de cada paciente com o médico responsável. Cada mês, um médico diferente trabalhava conosco. Eu poderia falar sobre estes super especialistas em todos os campos que se alternavam entre os dois hospitais para dar atenção aos pacientes hospitalizados neste departamento. Eu pude trabalhar muito próximo de especilistas de calibre internacional, médicos professores, pesquisadores em ciência básica e avançada, muitos deles acadêmicos reconhecidos internacionalmente e muitos recomendados para diferentes prêmios. (Hadassah foi recomendado para o Prêmio Nobel da Paz, por exemplo.)

Pouco tempo depois, eu já era parte da grande família Hadassah, onde além de ter a oportunidade de aprender com os melhores do mundo (sem nenhuma dúvida) fui impactado pelo alto nível de humanismo e amor à vida que é vivida dia a dia.

Durante minha especialização, trabalhei no Tratamento Intensivo, Tratamento Intermediário, Unidade Coronariana, Acompanhamento de Internos, “Day Care”, Sala de Emergência, Pesquisa e em Ensino. Fui encorajado a estudar e pesquisar todos os dias.

Eu atingi um alto nível em diagnóstico e tratamento desde meu primeiro contato com o paciente. (Alguns exemplos de que sinto orgulho incluem um diagnóstico micro-molecular em um paciente com menigite e sepsis; um diagnóstico microscópico de um paciente com leucemia mielóide aguda; diagnóstico e estudo de acidose tubular renal; tratamento avançado de um paciente com dor no peito – causada por enfartes de coração ou pulmão – e dissecções aórticas; efusão pericárdica com Tamponamento Cardíaco, etc.). Eu também tive a oportunidade de participar do diagnóstico de pacientes complexos de outros departamentos e trabalhei com parte de uma equipe com outros residentes e especialistas.

Um Ambiente de Trabalho Sem Egos e Com Amor Pela Vida Humana

Para todos no Hadassah, independente de quem são, o trabalho no dia a dia é em geral desprovido de hierarquia e egos. Todos tem o objetivo comum de fornecer um ambiente de trabalho profissional e agradável a fim de tornar possível ajudar os pacientes. Não se leva em consideração a raça, a religião ou outras diferenças.

Para dar um exemplo: lutar para salvar a vida de um muçulmano fundamentalista que explodiu um caminhão é exatamente o mesmo que lutar para salvar a vida de um membro do parlamento do Estado de Israel. Não é por acaso que esta instituição foi recomendada para o Prêmio Nobel da Paz.

Minha experiência foi única e sem paralelos. O Hadassah me permitiu crescer em todos os aspectos e conseguir sucesso pessoal. Sempre fui encorajado a olhar para cima, bem acima. Eu aprendi, entre outras coisas, que o amor pela vida humana deve existir sem fronteiras, conflitos existem principalmente no nível político e as diferenciações que tentamos estabelecer entre os seres humanos não existem realmente.

No final de minha residência, eu fui honrado com um prêmio por “Excelência em Medicina Interna”. Eu aceitei este primeiro título, vestindo uma camisa com as cores verde,branco e vermelho do meu querido México e uma camiseta do Anahuac, minha alma mater.

Depois de receber o título de Doutor em Medicina Interna, eu me alistei no Exército de Israel para cumprir a obrigação de todo israelense com o serviço militar. Depois do serviço como interno na Força Aérea, eu deixei o Hadassah por razões pessoais e mudei para o centro do país para iniciar minha especialidade em Cardiologia em outra instituição.

Entretanto, minha vida foi marcada com um selo de honra. Eu serei para sempre tremendamente orgulhoso e agradecido por ter tido a oportunidade de ser parter da família Hadassah.

Com calorosas saudações

Ilan Marcuschamer, M.D, F.I.I.M.A.                                                                                                                     Tel Aviv, Israel                                                                                                                                   18 Dezembro 2016

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone