Duzentos medicos e paramédicos em treinamento da Força de Defesa de Israel (IDF) reuniram-se no Hadassah Hospital Ein Kerem para um estudo de um dia em Março com os renomados especialistas do Hadassah Medical Center para aprimorar suas habilidades na prevenção e tratamento de ferimentos.

“Mesmo que todos estes medicos e paramédicos sejam treinadores de outros,” explica a Coordenadora de Trauma da HMO, Consultora Acadêmica e Enfermeira Julie Benbenishty, PhD, “eles não vêem pacientes de verdade.” Portanto, ela diz, “nós desenvolvemos um programa de estudo onde, em grupos de cinco por vez, eles passam uma semana intensiva treinando na HMO na sala de emergência, sala de cirurgia, centro de trauma e sala de recuperação.”

O programa inclui um Sistema de aprimoramento de suas capacidades de observação. “Por exemplo,” relata, “eu vou pedir-lhes para citar quatro passos a serem seguidos por enfermeiras de sala de emergência para dar segurança e privacidade a seus pacientes. Eles devem fazer o melhor possível para propiciar ambos durante o tratamento de um soldado em campo.” Outra lição importante do programa é fornecer confiança conversando com o paciente para prevenir choques pós-traumáticos. “Se eles não conversam com o paciente durante a crise, é tão ruim como deixá-lo sangrando até a morte, na minha opinião,” diz Benbenishty.

Durante o período de treinamento, especialistas em medicina de emergência, ortopedia, oftalmologia e neurocirurgia atualizaram os soldados e discutiram assuntos trazidos por eles. Por exemplo, o especialista de coluna, Dr. Josh Schroeder, explicou como soldados podem prevenir e tratar problemas de coluna. Além disto, casos de estudo foram apresentados aos médicos que deviam fazer os diagnósticos sob condições de campo.

O período de treinamento foi organizado por Benbenishty, junto com o Dr. Assaf Kedar, Cirurgião e Especialista em Tratamento Crítico. Graduada na Hebrew University-Hadassah Henrietta Szold School of Nursing, Benbenishty serviu como tenente na IDF. Nascida nos Estados Unidos, emigrou para Israel em razão de sua vivência sionista durante o colegial. “Meus pais pensavam que era apenas uma fase e que eu voltaria,” ela diz. “Eles estavam errados.”

Benbenishty acumulou experiência em trauma trabalhando no Hadassah onde tomou conta de milhares de pacientes de trauma, muitos deles vítimas de ataques terroristas. Ela foi recentemente enviada à Tanzânia pelo Ministério de Assuntos Exteriores para treinar enfermeiras. Junto com a Enfermeira Naela Heik ela é fundadora da “Nurses in the Middle East”, que promove o entendimento através da enfermagem. Como declaração de missão ela explica:

“Nurses in the Middle East” é uma organização conjunta israelo-palestina para promover a saúde na região e conectar enfermeiras, sem levar em conta identidades políticas, étnicas ou religiosas. Nosso objetivo é encorajar as enfermeiras a serem embaixadoras do tratamento e através do cuidado com o paciente, criar comunidades de compaixão e entendimento. Enquanto nossos sistemas políticos criam fronteiras e postos de averiguação, nós garantimos que o cuidado não tenha fronteiras ou cartões de identificação.”

”Através da divulgação, intercâmbio de enfermeiras, educação e pesquisa, nós construimos linhas de comunicação através da região e do mundo.”

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone