Com os avanços no tratamento da Cistite Fibrosa (CF) estendendo a duração e qualidade de vida para muitos pacientes em países desenvolvidos, especialistas em CF do Hadassah estão buscando diminuir a lacuna para pacientes de CF em países pouco desenvolvidos.

Como explicam os médicos do Hadassah, indivíduos com CF que vivem em países pouco desenvolvidos tendem a ter resultados clínicos piores do que aqueles em áreas mais abastadas porque a falta de recursos deixa o tratamento fora de alcance. Eles são diagnosticados em uma idade maior e exibem um maior comprometimento da função pulmonar e situação de nutrição inferior (em função de dietas pobremente balanceadas quando crianças e da má absorção característica de pacientes de CF). Orientações de cuidados atuais de CF, geralmente projetadas para utilização em países desenvolvidos, explica o autor, incluem tratamentos não disponíveis em lugares pobres em recursos.

Médicos do Hadassah relatam que “com base em sua experiência nos cuidados com pacientes palestinos da Margem Oeste e Gaza e nosso envolvimento em projetos em países com recursos limitados na América do Sul e no Leste Europeu, nós acreditamos que estratégias de tratamento para CF podem ser adaptadas para permitir longevidade e qualidade de vida para pacientes que vivem em países pobres em recursos.” Os benefícios, eles explicam, estão baseados em diagnóstico precoce, tratamento e centros especializados em CF, otimização de nutrição, tratamentos de limpeza de vias aéreas, controle de infecção e sistemas de baixo custo de aquisição de remédios. Diagnóstico precoce, observam os especialistas, pode ser realizado atavés de campanhas de conscientização dirigidas à comunidade médica e ao público em geral.

Os autores enfatizam que a conformidade é uma variável importante. Uma vez diagnosticado, dizem, o paciente deve ser dirigido a um centro multidisciplinar de CF o qual, no mínimo, deve incluir um médico, enfermeira, nutricionista e fisioterapeuta com experiência em CF. O Hadassah ajudou a estabelecer centros de CF em Gaza, no Uruguai e no Chile.

Ao enfatizar o valor de centros de CF abrangentes, os autores destacam que estes centros, onde a equipe partilha da mesma origem étnica e bagagem cultural de seus pacientes, pode ultrapassar muitos dos obstáculos da confiança dos pacientes oferecendo tratamento apropriado culturalmente. Os autores avisam, entretanto, que “uma lacuna substancial permanece entre países ricos em recursos e países pobres em recusros, onde os custos de remédios pesam sobremaneira sobre as famílias dos pacientes. O enfoque que detalhamos não diminui as diferenças entre países ricos e pobres, mas atinge o objetivo de tratamento de saúde equitativo como um direito humano básico. Mesmo pequenas melhoras no fornecimento de tratamento da CF em regiões pobres em recursos são valiosos porque são melhoras na direção certa.”

Ao mesmo tempo, eles colocam: “O verdadeiro desafio em enfrentar a CF vai acontecer somente quando todos com esta doença, independente de onde vivem, possam esperar uma expectativa de vida normal e qualidade de vida.

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone