O Prof. Emérito Mervyn Gotsman e o Prof. Israel Gotsman do Heart Institute do Hadassah Hospital são coautores de um artigo publicado no European Heart Journal destacando o fato de que “entre 1998 e 2012, a mortalidade por doenças cardiovasculares em Israel caiu de 162 para 80 por 100.000 residentes – uma queda de 50%.”

 

 

 

 

Figura 1. Tendências no tempo de taxas de mortalidade ajustadas por causa em Israel, 1998-2012. Dados obtidos das informações oficiais publicadas anualmente pelo website do Israeli Central Bureau of Statistics 2015. http://www1.cbs.gov.il/briut/new/tab3b.xls (10 August 2015)].

 “O matador número 1 está sendo contido,” relatam os autores. Eles explicam que a morte por motivo cardiovascular inclui infarto agudo do miocárdio, doenças isquêmicas do coração e arteriosclerose, doenças cérebro vasculares, diabetes melitus e doença de hipertensão. Discutindo as razões desta queda dramática na mortalidade cardiovascular, os autores creditam a Israel Heart Society pela introdução, publicidade e ensino da prevenção da arteriosclerose através da mudança de estilo de vida bem como pelas campanhas nacionais contra o fumo, obesidade, diabetes e hipertensão. Somado a isto, eles citam o uso liberal de estatinas para atingir novos níveis de lipídios, junto com investigação cuidadosa de pacientes com dores no peito.

Enumerando as intervenções médicas responsáveis por salvar vidas de pacientes com doenças do coração, eles especificam: o gerenciamento rápido de ataques agudos do coração – inicialmente com trombólise (dissolvendo coágulos perigosos nos vasos sanguíneos) e agora com procedimentos de intervenção imediata em até duas horas do início das dores do paciente; o uso extensivo de serviços de ambulância de emergência por todo o país, incluindo áreas rurais; unidades de tratamento intensivo especializadas em todos os hospitais regionais sob o cuidado de experientes cardiologistas; uso de novos anticoagulantes; o cuidadoso gerenciamento do choque cardiogênico; programas voltados à prevenção da morte súbita; angioplastia percutânea das coronárias para pacientes com significativa doença coronária; o uso de novas gerações de stents; o uso criterioso de revascularização do miocárdio; a utilização apropriada de monitoramento trans-telefônico em nível nacional para pacientes com dores no peito e palpitações; procedimentos de intervenção para arritmias; o uso livre de marca-passos e desfibriladores implantáveis; o tratamento precoce de doenças de válvulas com cirurgia e procedimentos de intervenção; e cirurgia corretiva precoce para correção de doença cardíaca congênita por cirurgiões experientes.

 

Mortalidade por Gênero

Figura 2. Mortalidade Cardiovascular por Gênero em Israel

Comentando sobre a comparação de gêneros na mortalidade cardiovascular em Israel, a Dra. Donna Zfat-Zwas, Diretora do Hadassah Medical Center Linda Joy Pollin Cardiovascular Wellness Center for Women, aponta: “Em Israel nós temos orgulho de não ter as diferenças de gênero vistas na América onde, por muitas razões, morrem de doenças cardíacas mais mulheres do que homens a cada ano. Ao mesmo tempo, nós sabemos que mulheres em Israel que passam por um ataque cardíaco tem três vezes mais chance de vir a óbito do que os homens, e um pouco disto vem do fato de que elas chegam ao hospital muito tarde – em média mais de uma hora depois dos homens. No Pollin Center, nós estamos trabalhando duro para aumentar a atenção das mulheres sobre o seu risco de doença cardíaca e para reconhecer os sinais e sintomas. Nós nos colocamos o objetivo de diminuir o tempo que leva para uma mulher buscar auxílio e deste modo antecipamos uma diminuição significativa da morte por doença cardíaca entre as mulheres.”

Em termos de mortalidade tanto para homens como para mulheres, os doutores Gotsman previnem que não tem certeza da contribuição quantitativa de cada um dos múltiplos aprimoramentos citados e admitem a possibilidade de que “este incrível resultado possa ser também consequência da disponibilidade universal de fundos para doentes para toda a população, independente de raça, cor ou religião em uma população heterogênea compreendendo as três religiões abraâmicas.”

Da mesma forma, eles enfatizam “a orientação da Israel Heart Society e do Ministério da Saúde de Israel em prover as mais modernas instalações disponíveis 24/7 nas clínicas externas e nos hospitais.”

Enquanto admitem que há muito mais a ser feito e aconselhando maneiras que os especialistas cardiovasculares podem utilizar para diminuir ainda mais as taxas de mortalidade, eles concluem: “Avanços no tratamento cardiovascular e desenvolvimentos são como descascar uma cebola. A medida que uma camada é removida, uma nova aparece e requer avaliação cuidadosa, gerenciamento e implementação.”

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone