Avital e Hallel com o Dr. Rudis e uma enfermeira

 

Pode ser um jovem paciente com uma gripe virulenta. Ou um homem com um ataque severo de asma. Ou uma mulher com uma complicação na gravidez. De repente, seus corações ou pulmões ou ambos estão falhando e a equipe de médicos e enfermeiras do Hadassah precisa tomar medidas rápidas ou seus pacientes morrerão.

Este passo drástico consiste no uso da membrana de oxigenação extracorpórea (ECMO) também conhecida como suporte de vida extracorpórea (ECLS), quando máquinas externas tomam conta das funções do coração e pulmão até que estes possam ser reativados. Até recentemente, ECMO era utilizada principalmente em crianças mas hoje está sendo utilizada em adultos com falha cardíaca e respiratória. O ECMO, ao remover o sangue do corpo do paciente elimina o dióxido de carbono e oxigena as células vermelhas do sangue, um trabalho realizado pelo pulmão.

Avital Zakin, uma jovem de 26 anos saudável e ativa, estava grávida de seu primeiro filho. A gravidez progredia normalmente e Avital e seu marido estavam felizes com o começo de sua família. Tudo parecia ir bem quando ela entrou em trabalho de parto, mas no meio do processo ela sofreu um descolamento da placenta (quando a placenta ou parte dela  descola-se da parede uterina). Avital teve uma hemoragia e apesar da histerctomia de urgência, entrou em choque. Seus órgãos entraram em falência.

O descolamento de placenta é uma das razões de óbito de muitas mulheres em gerações passadas durante o trabalho de parto. Avital foi afortunada porque com a utilização do ECMO, especalistas multidisciplinares do Hadassah, trabalhando sem interrupção, foram capazes de salvar sua vida. Menos de uma semana depois, a nova mamãe estava fora de perigo. Ela e sua linda filha, Hallel Esther, vão ficar bem.

“ECMO é o último recurso quando as chances de óbito do paciente são na faixa de 80%,” explica o Cirurgião Cardíaco Dr. Ehud Rudis, Diretor da Unidade de Cirurgia para Insuficiência Cardíaca. “Nós revertemos as chances,” ele diz, relatando uma taxa de sucesso de 80% com o uso do novo sistema de ECMO este ano.

“Quando Avital estava forte o suficiente, ela me pediu para acompanhá-la para ver sua filha,” disse o Dr. Rudis. “Quando eu vi Hallel, eu lembrei porque eu decidi tornar-me médico. Ela é como uma neta para mim e toda semana eu recebo fotos em meu celular mandadas pelos pais.”

O Dr. Rudis apresentou o caso de Avital numa recente conferência clínica semanal para para a equipe do Hadassah e ela estava na audiência para agradecer aos “anjos de branco” (nas palavras dela). Ela estava acompanhada de sua filha, Hallel, agora com um ano, que estava alegremente dando voltas e brincando.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone