“Caro Prof. Zangen,”

Àquele que assumiu sobre si quando outros recusaram;

Que batalhou contra todas as chances, que perdeu noites de sono, que nos encheu de esperanças e de espírito e força para lutar.

Que seguiu lutando quando todos a sua volta já tinham desistido, para ele que no final saiu vencedor.

Nós lhe seremos gratos pelo resto de nossas vidas pelo maior presente que jamais recebemos. Nunca esqueceremos o dia em que nos conhecemos. Para nós você era nossa última esperança.

Todos a nossa volta foram unânimes em dizer que aquele era o fim, que estava acabado, que nós devíamos nos preparar para dizer adeus ao nosso filho, Rafi.

Só você! Apenas você, o único que não estava pronto a se entregar a esta doença.

Você não teve medo das dificuldades. Você não teve medo de assumir responsabilidades. Nós lembramos que você nos disse uma vez: “- Talvez eu esteja assumindo muita coisa”. Agora nós podemos lhe dizer com certeza: “- Não. Você não assumiu demais! Mais do que isso, você deu a chance de viver a este garoto incrível, um garoto que nunca parou de rir e sorrir, um garoto com um estoque ilimitado de amor, bondade e alegria, um garoto que aproveita cada minuto de vida. Essa é a vida que você deu a ele e a nós.

Com muito amor,

Sonia, Alex and Rafi (Kushnitzov)”

Sonia e Alex trouxeram seu filho recém nascido ao Prof. David Zangen, chefe da Unidade de Endocrinologia Pediátrica do Hadassah Medical Center e da Unidade de Diabetes Juvenil de um hospital na região central do país.

Eles sabiam que era a última chance. Rafi nasceu com Hiperinsulinismo, uma doença caracterizada por níveis muito altos de insulina no sangue. Rafi também tinha Hepatoblastoma (um tipo de câncer no fígado). Prof. Zangen reconheceu a Síndrome de Beckwith-Wiedemann, uma doença rara, onde a criança experimenta vários padrões de crescimento anormal.

Hoje, Rafi é um alegre garoto de dois anos com pais cheios de entusiasmo.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone