Um espaçoso e atualizado banco de esperma e novos laboratórios foram inaugurados no Hadassah Hospital Mount Scopus.

Decorado com dúzias de fotos de bebês, nascidos durante os últimos 20 anos graças à devotada equipe de médicos, enfermeiras e equipe técnica da unidade de fertilidade do Hadassah, o banco de esperma oferece serviços como análise avançada da qualidade do esperma. “Um teste regular pode concluir que a qualidade de uma amostra é muito baixa,” explica o diretor do banco de esperma, Dr. Yuval Bdolah; “entretanto, com a alta resolução do scanner de esperma do Hadassah, nós somos capazes de identificar boas células que podem ser utilizadas para o processo de fertilização. Estas simples células podem representar a última esperança de alguns casais que estão tentando ter filhos.”

Estabelecido em 1986, o banco de esperma atende pessoas de todo o país, tendo como seus principais beneficários mulheres solteiras que querem engravidar com esperma doado. Apesar da imagem conservadora da cidade de Jerusalém, o número de mulheres solteiras vindo ao banco de esperma cresce, diz o Dr. Bdolah. “Com a mudança da atitude israelense quanto a mães solteiras vemos muitas mulheres solicitando nossos serviços,” ele diz. “Enquanto existem instalações privadas oferecendo seus serviços a um custo muito alto, “ relata o Dr. Bdolah, “nós somos um banco de esperma público e vamos atender toda pessoa que nos procurar. Nossos pacientes incluem mulheres de todos os estratos sociais e culturais.”

Ao mesmo tempo, o Dr. Bdolah observa que os doadores potenciais estão em declínio porque temem ser expostos. Há um debate público sobre a ética da identidade do doador e uma necessidade de regulamentação dos bancos de esperma. O Dr. Bdolah relata que ele foi convidado a apresentar o tópico perante o Parlamento israelense e declarou que um debate público de assuntos tão delicados vai afastar os doadores. “Nós devemos lembrar,” diz, “que dependemos da boa vontade dos doadores.”

O Dr. Bdolah explica: “Nós não estamos buscando soldados de combate ou homens de 1,80m. A doação é anônima e não há forma de ser rastreada.”

O banco de esperma do Hadassah é também um lugar onde homens sofrendo de doenças oncológicas podem ter seu esperma congelado para uso posterior. Além disto, há planos para expansão tecnológica. Novos métodos para testar a estrutura do DNA do esperma, por exemplo, vão permitir novas possibilidades de diagnóstico e tratamento de problemas de fertilidade no Hadassah.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone