Mesmo os experientes cirurgiões de mãos do Hadassah Hospital Ein Kerem não tinham visto um desenrolar tão chocante: as mãos de seu paciente com seus crescimentos em forma de madeira incrustados pareciam ter se metamorfoseado em árvores.

O Dr. Michael Chernofsky, Cirurgião Sênior de Mão e Microvascular, encontrou pela primeira vez Mohammed Taluli, 42, de Gaza quando ele veio a sua clínica desesperado por conselho médico. Sua condição desafiava qualquer tratamento.

“Esta é uma doença muito rara, sem documentação na litertatura médica,” expllica o Dr. Chernofsky. “Um paciente que teve muitos tumores complexos cobrindo suas mãos por mais de 10 anos, ele sofreu de dores terríveis, a inabilidade de usar suas mãos e a vergonha. A doença é também muito perigosa e pode evoluir para o câncer.”

Algumas vezes chamada de “homem madeira” ou “condição homem-árvore”, a doença é uma complicação do HPV, papilloma virus humano que causa verrugas comuns. “A maior parte das pessoas,” diz o Dr. Chernofsky, “tem um sistema imune que pode lidar com o vírus ou ser ajudado por drogas. No caso do Sr. Taluli, seu sistema imunológico não foi capaz e o vírus desenvolveu-se de modo incontrolável.”

O Dr. Chernofsky relata que só tinha ouvido falar de um único caso famoso da doença que afligiu um homem em Bangladesh.

A decisão de operar foi tomada em conjunto com o colega, Dr. Shai Luria, também cirurgião de mão do Hadassah. “Nós tivemos que estabelecer um procedimento que reduzisse a possibilidade de tumores voltarem a crescer sem controle novamente,” relata o Dr. Luria. “Também era importante trabalhar com uma equipe de dermatologistas e o pessoal da sala de cirurgia para assegurar que não seríamos infectados por esta doença altamente contagiosa.” Disse ainda: “Nós trabalhamos com proteção dupla e máscaras especiais e não cauterizamos os tumores porque isto espalharia fumaça infecciosa.”

A remoção cirúrgica dos crescimentos foi combinada com enxertos de pele, medicação e uma vacina especial administrada pela Dra. Vered Molho-Pessach, dermatologista. O tratamento pós cirúrgico seguirá incluindo terapia ocupacional para que o Sr. Taluli possa readquirir o uso das mãos.

Pai de seis filhos, o Sr. Taluli relembra sua luta de dez anos para encontrar uma cura. “Nós tentamos achar tratamento no Egito,” ele diz, “mas não havia nada a fazer lá.” Ele então tentou a sorte em Nablus e no Makassed Hospital em Jerusalém Oriental, sem sucesso. “Eles me mandaram para o Hadassah,” ele diz. “Depois de anos sentado em casa, incapaz de trabalhar por causa de minhas limitações e com medo de desenvolver câncer, os especialistas aqui no Hadassah foram os únicos que me deram esperança de recuperação. O tratamento aqui é excelente. Eu espero com muita fé que minha vida anterior tenha ficado para trás.”

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone