Depois de receber tratamento para um raro tipo de câncer em Israel e ter sido encorajado por médicos palhaços  durante sua dolorosa estada no hospital, Abdullah Abu Shaaban, 23, de Gaza, decidiu que queria dedicar-se à profissão de médico palhaço.

“Eu estava sentado em minha cama de hospital na primeira vez que encontrei um médico palhaço,” lembra Abu Shaaban. “Eu não sabia que existiam pessoas como palhaços e pensei que algum maluco tinha entrado em meu quarto. Eu pensei como pessoas assim podiam entrar em um hospital e fazer aquelas coisas.” Logo ficou claro para ele que o palhaço estava ali para animá-lo. “O palhaço me tirou de minha depressão e trouxe alegria para a minha vida,” ele disse. “Eu soube naquele momento que eu queria ser um palhaço.”

O Sr. Abu Shaaban, sem as condições financeiras para estudar a profissão formalmente, decidiu desenvolver suas habilidades através de vídeos no youtube e vários outros websites. Então, com a ajuda da midia social, estabeleceu contato com Sasha Kuperstina, americana-israelense, produtora de documentários, que estava criando um documentário sobre palhaços em Israel. Ela procurou David Barashi no Hadassah Hospital para sondar sobre a possibilidade do Sr. Abu Shaaban treinar com ele.

Quando o Sr. Barashi apresentou a ideia ao Prof. Eitan Kerem, chefe da Divisão de Pediatria do Hadassah, ele deu sua benção. O plano: Abu Shaaban viria a Israel por quatro semanas para treinar sob a supervisão do Sr. Barashi e a Sra. Kuperstina filmaria para seu documentário.

Leia a história de  Mr. Abu Shaaban no The Jerusalem Post.

Veja o video no Haaretz video sobre o Sr. Abu Shaaban.

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone